WhatsApp Image 2021-04-09 at 16.14.48 (2).jpeg

Mauro Filho

Inicia sua trajetória artística em 1998 como bailarino, participando de vários festivais e mostras de dança pelo Brasil, recebendo diversos prêmios como melhor bailarino e coreógrafo. A partir de 2010 começa a estudar teatro na Casa da Cultura Dide Brandão em Itajaí onde integra o Anchieta Arte Cênica e o Bagagem Cênica Cia. de Teatro (2011, 2012 e 2013). Em 2013 torna-se cofundador e passa a integrar a Karma Coletivo de Artes Cênicas, também em Itajaí, participando como ator e diretor do espetáculo “Em Respeito à Dor” (2014), dramaturgia e direção em “Berlim: dois corpos à procura” (2015), ator no solo “Caê” (2018) bailarino e criador em "Dois ao Cubo" (2018), produtor em "Cartografia do Assédio" (2017), diretor em "Dentre" (2021) e diretor em "Proibido Acesso" (2021). É bacharel em Comunicação Social e licenciado em Artes Visuais. Junto da Karma Coletivo de Artes Cênicas produz e coordena os eventos: Conexões Contemporâneas (2016, 2018 e 2019) projeto de formação do artista da cena e também o CORES: arte, gênero e diversidade, primeiro evento de arte voltado às questões de gênero e sexualidade da região (2016 e 2018). É professor de dança contemporânea do programa Arte nos Bairros da Fundação Cultural de Itajaí. Atualmente vem trabalhando na pesquisa "exercícios de presença" criando trabalhos que lidam com a obra do seu pai, o artista visual Mauro Caelum, investigando territórios de cruzamento entre as artes visuais, a dança, o teatro e a performance. É membro titular da Câmara Setorial de Teatro e Circo de Itajaí vinculado ao Conselho Municipal de Políticas Culturais - CMPC, gestão 2021-2022.